Blog de Marco Santos . Traducteur et interprète portugais

Aller au contenu | Aller au menu | Aller à la recherche

samedi 6 novembre 2010

Combinações linguísticas em interpretação

Qual é a tua B ? És A-A ? Ou A-C-C ?


Um delegado que passe por um grupo de intérpretes antes de uma reunião multilingue e ouça este tipo de conversa pode ficar com algumas dúvidas…

Não, eles não estão a estudar o alfabeto antes do início da sessão, mas estão-se provavelmente a apresentar uns aos outros e a descobrir as respectivas combinações linguísticas.

De facto, os idiomas que um intérprete fala ou percebe não estão todos ao mesmo nível... Vamos olhar para o caso de um intérprete português que domina muito bem a língua francesa, tendo vivido vários anos num país francófono e que também percebe muito bem o inglês, espanhol e alemão.

Um intérprete português tem em geral o português como língua materna e esta é por isso a sua língua A. Isto significa também que ele é capaz de interpretar de todas as suas línguas para o português. Tirando raras excepções, um intérprete tem somente uma língua A.

Tendo vivido durante um período bastante longo num país francófono, este intérprete tem um domínio da língua francesa suficientemente bom para se sentir à vontade ao trabalhar do português para o francês e pode então considerar o francês como a sua língua B. É importante saber também que mesmo que considere o francês como a sua língua B, este somente vai interpretar em francês quando se tratar de um discurso em português, sendo esta a sua língua materna e sabendo que exige um esforço de compreensão mínimo que vai disponibilizar mais recursos intelectuais para a elaboração de um discurso de qualidade na língua B.

O nosso intérprete percebe também o alemão, o espanhol e o inglês mas não está suficientemente à vontade para interpretar nestas línguas. Estas serão por isso consideradas como línguas C.

Este intérprete será por isso um A-B-C-C-C, tendo o português como língua A, o francês como língua B e o alemão, inglês e espanhol como línguas C.

As suas combinações serão por isso : francês-português, português-francês, alemão-português, inglês-português e espanhol-português.

Combinaisons linguistiques en interprétation

C'est quoi ta B? T'es A-A? Ou A-C-C?


combinaisons linguistiques combinações linguisticas language pairs Un délégué qui croise un groupe d'interprètes avant une réunion multilingue peut se poser bien des questions en entendant ce genre de conversation...

Non, les interprètes ne sont pas en train de réviser l'alphabet avant le début de la séance mais plutôt en train de faire connaissance et de se demander les uns aux autres quelles sont leurs combinaisons linguistiques.

En effet, les langues qu'un interprète parle ou comprends ne sont pas toutes égales... Voyons le cas d'un interprète portugais qui maitrise très bien la langue française après de nombreuses années passées dans le pays et qui comprends parfaitement l'anglais, l'espagnol et l'allemand.

Un interprète portugais aura en général comme langue maternelle le portugais et ce sera donc sa langue A. Cela implique qu’il est capable d’interpréter à partir de toutes ses langues vers le portugais. Sauf rares exceptions, un interprète n'a en général qu'une seule langue A.

Ayant vécu pendant un assez grand nombre d'années dans un pays francophone, cet interprète maitrise le français assez bien pour se sentir à l'aise en travaillant du portugais vers le français et il considère donc le français comme sa langue B. Il faut aussi savoir que même ayant le français comme langue B, il ne travaillera en général qu'à partir du portugais qui est sa langue maternelle et qui demande un effort de compréhension minime, laissant ainsi plus de ressources pour l'élaboration d'un discours de qualité dans la langue B.

Il comprend aussi l'allemand, l'anglais et l'espagnol très bien mais n'est pas assez à l'aise pour interpréter vers ces langues là. Ces langues seront donc considérées langues C.

Cet interprète sera donc un A-B-C-C-C, ayant le portugais comme langue A, le français comme langue B et l'allemand, l'anglais et l'espagnol comme langues C.

Ses combinaisons linguistiques seront donc le français-portugais, portugais-français , allemand-portugais, espagnol-portugais et allemand-portugais.

Interpretation language pairs

What’s your B? Are you A-A ? Or A-C-C ?


combinaisons linguistiques combinações linguisticas language pairs A delegate passing by a group of interpreters before a multilingual meeting and hearing this kind of discussion may wonder what is going on…

No, they are not studying the alphabet before the session starts, but probably getting to know each other and finding out about each others’ language pairs.

Indeed, languages interpreters speak or understand are not all equal. Let’s have a look at the case of a Portuguese interpreter that has a sound knowledge of the French language, thanks to a pretty long time spent in a French speaking country and that also understands very well English, Spanish and German.

A Portuguese interpreter’s mother tongue is usually Portuguese and it will therefore be it’s A language. This means he is able to work from all his languages into Portuguese. Apart from a few exceptions, interpreters only have one A language.

By living for a long time in a French speaking country, this interpreter is fluent enough to work from Portuguese into French and can therefore consider French his B language. It’s important to know that even if he considers French his B language, he usually only works into it from Portuguese because Portuguese is his mother tongue and it requires very little mental resources to understand, allowing him to keep much more mental resources to create a quality output in his B language.

Our interpreter also understands German, Spanish and English but doesn’t feel comfortable enough to work into these languages. These will be his C languages.

This interpreter will therefore be a A-B-C-C-C, being Portuguese his A language, French his B language and Spanish, German and English his C languages.

His languages pairs are therefore: French-Portuguese, Portuguese-French, German-Portuguese, English-Portuguese and Spanish-Portuguese.

jeudi 4 novembre 2010

Precisa de um tradutor ou de um intérprete?

Muitas pessoas não distinguem um tradutor de um intérprete. Descobra a diferença!


interpretation conference interpreting interpretacao conferencia Muitos vêem os tradutores como pessoas que percebem um texto numa língua estrangeira e o transmitem na sua língua materna. E isto, tanto a nível oral como escrito. Mas será que é assim tão simples?

A grande diferença está antes de mais no meio de comunicação que é usado. O intérprete usa a voz enquanto que o tradutor usa a pena (hoje, talvez seja mais o teclado). Tradutores e intérpretes serão por isso encontrados em sítios bem distintos. Um tradutor trabalha em geral no escritório ou em casa e traduz textos de natureza variada (livros, sítios na internet, relatórios, manuais de utilização, etc.). Um intérprete está fisicamente presente no sítio onde os debates ocorrem e estará por isso presente numa grande diversidade de sítios. Salas de reunião, salas de congresso e parlamentos são alguns dos possíveis exemplos mas este intervém também muitas vezes aquando de visitas e acaba por isso por trabalhar muitas vezes em fábricas, quintas, estabelecimentos, etc.

Outra diferença entre a interpretação e a tradução é o factor "tempo". Um tradutor tem a sorte de poder reflectir durante alguns minutos em relação a uma palavra problemática. Um intérprete não tem essa sorte. Dispõe apenas de uma fracção de segundos para perceber a ideia e para a apresentar aos ouvintes. Os intérpretes são geralmente menos dependentes da terminologia quando se trata de um discurso de carácter geral e é a transmissão da ideia que predomina. Os ouvintes têm de poder entender de forma clara aquilo que lhes é dito, ainda que a escolha de palavras não seja exactamente a mesma. No entanto, quando trabalha com discursos técnicos, a terminologia torna-se ainda mais importante e então, é não só é importante que este domine bem o vocabulário técnico mas que o tenha também na ponta da língua!

É importante saber que em ambas profissões não são somente as palavras que são traduzidas mas sobretudo as ideias e as intenções do discurso. É com certeza esta a razão pela qual um bom programa de tradução automática ainda não foi criado. Este tipo de programas pode facilmente traduzir as palavras graças a uma boa base de dados, mas não pode traduzir uma ideia nem dar sentido a um texto. Os tradutores e os intérpretes não vão ser postos de lado tão cedo!

Avez-vous besoin d'un traducteur ou d'un interprète?

Beaucoup de gens ne font pas la différence. Découvrez-la!


interpretation conference interpreting interpretacao conferencia Aux yeux de beaucoup, le traducteur est la personne qui comprends un texte dans une langue étrangère et qui le transmet dans sa langue maternelle. Et ce, tant à l'oral comme à l'écrit. Mais est-ce que c'est aussi simple?

La grande différence entre les deux est le moyen de communication. L'interprète utilise sa voix alors que le traducteur utilise sa plume (ou plutôt le clavier maintenant). Nous les retrouverons donc des des endroits bien différents. Un traducteur travaille en général au bureau ou chez lui et traduit des textes de nature variée (livres, sites web, rapports, modes d'emploi, etc.). L'interprète sera présent physiquement à l'endroit où les débats vont se tenir et travaille donc dans des endroits très variés. Salles de réunion, salles de congrès, parlements sont quelques exemples mais il intervient aussi très souvent lors de visites et cela peut donc inclure des visites d'usine, de fermes, d'établissements, etc.

Une autre différence entre l'interprétation et la traduction est le facteur "temps". Un traducteur a la chance de pouvoir réfléchir quelques minutes au sujet d'un mot qui pose problème. Un interprète n'a pas cette chance. Il n'a qu'une fraction de secondes pour comprendre l'idée et la présenter aux auditeurs. Les interprètes sont donc en général un peu moins prisonniers de la terminologie quand il s'agit d'un discours de caractère général et c'est avant tout la transmission de l'idée qui est importante. Les auditeurs doivent comprendre très clairement ce qu'on leur dit, même si le choix des mots n'est pas exactement le même. En revanche, quand il travaille avec des discours techniques, la terminologie devient encore plus importante et là, il est non seulement primordial qu'il maitrise très bien le vocabulaire technique mais aussi qu'il l'ait sur le bout de la langue!

Dans les deux cas, il faut savoir que ce ne sont pas seulement des mots qui sont traduits mais plutôt des idées et des intentions. C'est sans doute la raison pour laquelle un bon programme de traduction automatique n'a pas encore été mis au point. Ce genre de programme peut facilement traduire des mots grâce à une bonne base de données, mais ne peut pas traduire une idée ni donné du sens à un texte. Les traducteurs et les interprètes ne seront pas rangez au placard si vite!

Do you need a translator or an interpreter?

Many people don't know the difference between translators and interpreters. Find out here!


interpretation conference interpreting interpretacao conferencia People often see translators as people who understand a text in a foreign language and put it in their mother tongue. And this, both with oral and written texts. But is it that simple ?

The main difference between them is the communication form that is used. The interpreter uses his voice while the translator uses his quill pen (nowadays, probably his keyboard). Translators and interpreters are therefore found in very different places. The translator usually works at the office or at home and translates many different types of texts (books, websites, reports, users’ manuals, etc.). The interpreter is where the meetings take place and may therefore be found in many different places. Meeting rooms, congress rooms and parliaments are some of the possible examples but interpreters also work very often during visits and therefore, they also work at factories, farms or teaching establishments for instance.

Another difference between interpreting and translation is the “time” factor. The translator is lucky to be able to think for some time about a difficult word or term. Interpreters are not so lucky. They only have half a second to understand the idea and present it to the listeners. Interpreters are usually less dependent on terminology when it is a casual speech and what is most important is the transfer of ideas. The listeners need to be able to understand in a clear way what is being said to them, even if the choice of words isn’t exactly the same. However, when interpreters work with technical speeches, then terminology is even more important and it is not only necessary that they know the technical vocabulary very well, but also that they have it on the tip of the tongue!

It is important to know that in both jobs, it is not only about translating words but getting the ideas and intentions of the speech across. This is probably why a good machine translation program hasn’t been created yet. This kind of programs can easily translate words thanks to a good terminology database, but it can’t translate an idea nor have a text making sense. Translators and interpreters won’t be out of business any time soon!