Blog de Marco Santos . Traducteur et interprète portugais

Aller au contenu | Aller au menu | Aller à la recherche

mardi 9 novembre 2010

Tradução automática = fim dos tradutores e intérpretes?

traduteur tradutor translatorA tradução automática já apareceu há vários anos e permite aos utilizadores da internet traduzir instantaneamente qualquer página nas línguas que deseja. Esta tecnologia é bastante útil para entender o assunto geral de uma página, mas porque assistimos simultaneamente a um forte crescimento do número de tradutores e intérpretes de conferência profissionais?

Se já experimentou este serviço para entender o assunto de uma página, de um relatório ou somente para dizer algo engraçado em língua estrangeira, então, com certeza que já se apercebeu que os resultados variam muito. Com certos textos, os resultados são quase razoáveis mas com outros, é euforia garantida! Estes resultados dependem de vários factores como a combinação linguística, a complexidade do texto e sobretudo do grau de abstracção.

Uma tradução em português de um texto em espanhol tem em geral mais qualidade do que a tradução de um texto em alemão. E isto, por razões sobretudo de ordem sintáctica e semântica. Um texto simples com uma estrutura bem organizada permite uma tradução quase razoável e será possível entender o sentido geral enquanto que um texto com uma estrutura mais complexa apresenta bem mais dificuldades à tradução automática.

No entanto, o problema principal dos programas de tradução automática consiste no facto de eles não perceberem o abstracto .Na realidade, não percebem nada e somente traduzem as palavras separadamente de uma língua para a outra. Durante os meus estudos, tive a oportunidade de estudar um pouco de linguística e apercebi-me que é possível esquematizar um discurso e até estabelecer regras de redacção automática graças à análise de discurso humano. No entanto, não é possível (pelo menos por enquanto) uma máquina entender o sentido e a ideia de um texto.

Assim, se escrever «Thomas a fait de l'anglais à l'école », a tradução automática dá-me o seguinte resultado em português «Thomas fez de inglês para a escola». Aqui podemos imaginar o Tomás na escola vestido com o chapéu redondo típico do início do século XX em Inglaterra, mas será que era esse o significado da frase em francês? O programa de tradução automática não entendeu a ideia, embora simples, que o Tomás tinha estudado inglês na escola. A tradução e a interpretação exigem a compreensão total do texto, das suas intenções e das suas ideias, e por isso, enquanto que as máquinas não forem capazes de pensar, a tradução automática de qualidade não será possível.

Os tradutores e os intérpretes ainda têm muito tempo pela frente!

jeudi 4 novembre 2010

Precisa de um tradutor ou de um intérprete?

Muitas pessoas não distinguem um tradutor de um intérprete. Descobra a diferença!


interpretation conference interpreting interpretacao conferencia Muitos vêem os tradutores como pessoas que percebem um texto numa língua estrangeira e o transmitem na sua língua materna. E isto, tanto a nível oral como escrito. Mas será que é assim tão simples?

A grande diferença está antes de mais no meio de comunicação que é usado. O intérprete usa a voz enquanto que o tradutor usa a pena (hoje, talvez seja mais o teclado). Tradutores e intérpretes serão por isso encontrados em sítios bem distintos. Um tradutor trabalha em geral no escritório ou em casa e traduz textos de natureza variada (livros, sítios na internet, relatórios, manuais de utilização, etc.). Um intérprete está fisicamente presente no sítio onde os debates ocorrem e estará por isso presente numa grande diversidade de sítios. Salas de reunião, salas de congresso e parlamentos são alguns dos possíveis exemplos mas este intervém também muitas vezes aquando de visitas e acaba por isso por trabalhar muitas vezes em fábricas, quintas, estabelecimentos, etc.

Outra diferença entre a interpretação e a tradução é o factor "tempo". Um tradutor tem a sorte de poder reflectir durante alguns minutos em relação a uma palavra problemática. Um intérprete não tem essa sorte. Dispõe apenas de uma fracção de segundos para perceber a ideia e para a apresentar aos ouvintes. Os intérpretes são geralmente menos dependentes da terminologia quando se trata de um discurso de carácter geral e é a transmissão da ideia que predomina. Os ouvintes têm de poder entender de forma clara aquilo que lhes é dito, ainda que a escolha de palavras não seja exactamente a mesma. No entanto, quando trabalha com discursos técnicos, a terminologia torna-se ainda mais importante e então, é não só é importante que este domine bem o vocabulário técnico mas que o tenha também na ponta da língua!

É importante saber que em ambas profissões não são somente as palavras que são traduzidas mas sobretudo as ideias e as intenções do discurso. É com certeza esta a razão pela qual um bom programa de tradução automática ainda não foi criado. Este tipo de programas pode facilmente traduzir as palavras graças a uma boa base de dados, mas não pode traduzir uma ideia nem dar sentido a um texto. Os tradutores e os intérpretes não vão ser postos de lado tão cedo!